Homem de 61 anos tem remissão de câncer após ser infectado pelo novo coronavírus

 Escrito por ,

Estudo do Reino Unido indica que o coronavírus desencadeou uma resposta imune contra o tumor

Legenda: Tomografia computadorizada mostra redução do linfoma após paciente ser infectado pelo coronavírus (imagem do lado direito)
Foto: Reprodução/Britsh Journal of Haematology

Um homem de 61 anos com linfoma de hodgkin, câncer no sistema linfático, teve remissão da doença após ser infectado pelo novo coronavírus. O caso foi publicado pelo Britsh Journal of Haematology, periódico médico do Reino Unido, em 2 de janeiro. 

O estudo é comandado pelos pesquisadores Sarah Challenor e David Tucker. O paciente, que não teve a identidade relevada, não pode ser considerado curado, mas teve redução significativa do câncer. 

Conforme o periódico, em seu primeiro diagnósticos, o paciente estava em estágio progressivo do linfoma e recebia hemodiálise. Ele chegou a passar três anos sem terapia imunossupressora, após uma tentativa de transplante renal fracassar. 

Em 2020, foi diagnosticado novamente com estágio três da doença e a biópsia de um nódulo indicou altos indíces do vírus Epstein-Barr, que causa o desenvolvimento do linfoma. Logo após o diagnóstico, ele foi hospitalizado com faltar de ar, pneumonia e tosse e testou positivo para a Covid-19.

O homem passou 11 dias internado e recebeu alta para se recuperar em casa. Quatro meses depois, a avaliação médica indicou que o linfoma havia reduzido e exames revelaram resolução generalizada da linfadenopatia. 

A quantidade do vírus Epstein-Barr reduziu de 4.800 cópias/mL para 413 cópias/mL.

De acordo com o periódico, a hipótese dos médicos é que o coronavírus estimulou uma resposta imune contra o tumor. Durante o tratamento contra a Covid-19, ele não recebeu imunoterapia ou corticoides, indicados para o tratamento do linfoma. 

O mecanismo de defesa desencadeado inclui a reatividade de células T - com funções imunológicas antivirais - contra o linfoma e a ativação de antígenos e células assassinadas, produzidas em resposta à infecção. 

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o  linfoma de Hodgkin surge quando um linfócito (célula de defesa do corpo), se transforma em uma célula maligna, capaz de multiplicar-se descontroladamente e disseminar-se. 

Com o passar do tempo, essas células malignas podem se disseminar para tecidos próximos, e, se não tratadas, podem atingir outras partes do corpo. A doença origina-se com maior frequência na região do pescoço e na região do tórax denominada mediastino.

Fonte:Diário do Nordeste

Share:

Nenhum comentário:

MIMOS MILU Loja virtual

MIMOS MILU         Loja virtual
FOFURAS E PAPELARIA (88) 9- 9783-0486

Ouça a Rádio Quixabeira Ao vivo

Clique na Imagem e Ouça a Rádio Quixabeira

MOBILIDADE URBANA

MOBILIDADE URBANA
DE SEXTA A DOMINGO EM JUAZEIRO

Dra.Janaina Dias

Dra.Janaina Dias
FONOAUDIÓLOGA

CANINANA

CANINANA
conferida no nosso novo CD!!

JOÃO PAULO FRETES E VIAGENS

JOÃO PAULO FRETES E VIAGENS
(88)99905.1070

I9EVENTOS ASSARE


OS MELHORES PRODUTOS PARA SUA CONSTRUÇÃO

MOB TELECOM

MOB TELECOM
TURBINE SUA CONEXÃO

ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA

ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA
ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA

RC ÓTICA EM ASSARÉ E TARRAFAS

RC ÓTICA EM ASSARÉ E TARRAFAS
16 Anos com Responsabilida e Qualidade Cuidando dos Seus Olhos.

APP MINHA MOB

ÓTICA SAN VALLENTIN

ÓTICA SAN VALLENTIN
Aqui você enxerga a diferença

Redes Socias

Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Players da Rádio Quixabeira FM

Curta nossa Página do Facebook

TOTAL DE VISUALIZAÇÕES DO SITE

Ouça no Rádios Net