Exigências Falta de liberações ambientais atrasam obras do Estádio do Galo

Um grande sonho do torcedor do Atlético-MG está se tornando um pequeno pesadelo. A construção do seu estádio, a Arena MRV, estava com previsão de início das obras para este mês de agosto, quase um ano após o Conselho Deliberativo do clube aprovar o erguimento do estádio atleticano no bairro Califórnia, região noroeste de Belo Horizonte.

Porém, nenhum homem está no canteiro de obras assentando um tijolo sequer. O motivo: falta de licenças e documentações de liberação da prefeitura. O Galo precisa conseguir liberações da Secretária do Meio Ambiente, que constatou 53 pendências no projeto do estádio. A direção do clube solicitou uma adequação do projeto para ser entregue na sexta-feira, 24 de agosto.

A complicação do processo é que além da Secretaria de Meio Ambiente aceitar o projeto, ele é submetido ao Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) - formado por conselheiros da sociedade civil e representantes do poder público municipal que deliberam sobre a liberação(ou não) da concessão e da licença prévia. Só com esse parecer, as obras podem iniciar. .

O grande problema apontado pela secretaria é o local do futuro estádio.O terreno é uma área com três Áreas de Proteção Permanente (APPs): duas nascentes e um leito do córrego.

Sem adaptar-se às exigências municipais, nada de obras. O projeto do Atlético-MG indica a preservação das duas nascentes e do córrego, que deverá ser canalizado. Aí, entra outro problema para o projeto do estádio. A canalização do córrego só será autorizada caso o Instituto Mineiro de Águas (Igam) autorize. Sem o "ok" do Igam, o processo fica todo travado e nem a Secretária do Meio Ambiente poderia liberar a construção.

O Atlético precisa mandar o projeto e a documentação pedida para órgãos municipais e estaduais como o Igam e o Instituto Estadual de Florestas (IEF), pois o Galo Mineiro tem um terceiro problema. O local do futuro estádio possui um bioma de Mata Atlântica e só o IEF pode liberar o desmatamento. .

Em nota, o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) informou que há uma documentação sendo avaliada, mas o início da liberação dos trabalhos dependerá de relatórios do Igam e posteriormente do IEF.

O Galo comunicou informou que toda a documentação será entregue no momento adequado aos órgãos competentes. Enquanto o imbróglio persiste, o sonho de ver o torcedor atleticano em seu estádio, previsto para 2020, pode demorar mais um pouco. 

Terra


Share:

Nenhum comentário:

ASSISTÊNCIA SOCIAL DE ASSARE

ASSISTÊNCIA SOCIAL DE ASSARE
ASSISTÊNCIA ÀS GESTANTES

Prefeitura de Assaré antecipa décimo terceiro

Prefeitura de Assaré antecipa décimo terceiro
Prefeitura de Assaré antecipa décimo terceiro e injeta mais de R$ 2,7 milhões na economia local

Ouça a Rádio Quixabeira Ao vivo

Clique na Imagem e Ouça a Rádio Quixabeira

CANINANA

CANINANA
conferida no nosso novo CD!!

OS MELHORES PRODUTOS PARA SUA CONSTRUÇÃO

MOB TELECOM

MOB TELECOM
TURBINE SUA CONEXÃO

ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA

ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA
ARATCAEJO PAGUE MENOS BARBALHA

RC ÓTICA EM ASSARÉ E TARRAFAS

RC ÓTICA EM ASSARÉ E TARRAFAS
16 Anos com Responsabilida e Qualidade Cuidando dos Seus Olhos.

Redes Socias

Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Players da Rádio Quixabeira FM

Curta nossa Página do Facebook

TOTAL DE VISUALIZAÇÕES DO SITE

Ouça no Rádios Net